Cafezeiro Profissional

Café solúvel: saiba mais sobre como ele é feito

café solúvel é extremamente prático, sendo ideal para quem gosta, além do sabor de que ele proporciona, uma facilidade muito grande no modo de preparo.

O procedimento é simples: dissolver o café em pó na água quente e, então, adoçar, se for desse jeito que a pessoa gosta, e, por fim, aproveitar a bebida. Quer saber mais sobre o café solúvel? Acompanhe este artigo!

Veja também: Tipos de Café: Conheça as variedades da bebida

Qual é a origem do café solúvel?

café solúvel surgiu como uma maneira de poupar o tempo e o esforço que, antigamente, eram considerados um ritual na preparação do bom e velho café.

Hoje em dia, também existe um ritual, mais rápido. Mas não há uma versão oficial sobre o surgimento do café solúvel, o que abre um mar de histórias sobre a origem dessa bebida que está conosco todos os dias.

De acordo com o site Danton Medrado, esse tipo de café, que também é chamado de café instantâneo — por conta da rapidez no preparo —, surgiu a partir de uma demanda do exército americano em 1838.

Nessa época do exército, o rum estava sendo substituído pelo café, pois, além de ter os efeitos estimulantes, não embebedava. Solução perfeita para eles, não é?

Nessa transição, o extrato de café foi criado para facilitar o preparo e poupar tempo. Apesar de não haver certeza alguma em relação a isso, muitas pessoas acreditam que essa foi a primeira tentativa de fazer algo como o café solúvel que é conhecido hoje.

O Danton Medrado diz: “Em 1901, ele inventou um café em pó instantâneo que foi vendido na exposição Pan-americana de Nova Iorque. Em 1906, o químico norte-americano G. Washington adaptou a ideia de Kako e criou um solúvel refinado, que foi comercializado em grande escala”, referindo-se a Satori Kako, japonês radicado em Chicago.

Veja também: Café artesanal: dicas e diferenciais

E a origem no Brasil?

Muitas pessoas acreditam que o café solúvel foi originado no Brasil, e não nos Estados Unidos.

Atualmente, e desde muito tempo, muita gente relaciona o Brasil diretamente com a produção de café, pois, desde muito tempo, o país é ativo nesse sentido. Nisso, é interessante dizer que o site da revista Superinteressante dá uma outra versão da origem do café solúvel.

Ele diz que, por causa da pressão para produzir cada vez mais café e por conta da queda de preços do mercado internacional, na década de 20, os produtores de café brasileiro procuravam uma forma para conservar o café bom por mais tempo sem que isso afetasse o sabor dele. A ideia em que pensaram era fabricar cubos de café.

A ideia partiu do Brasil, mas a confecção do produto, não. Os brasileiros apresentaram a ideia para empresas da Suíça, em 1937, e a produção foi feita com sucesso graças ao químico Max Morgenthaler.

O produto no Brasil só foi lançado em 1953, visto que a lei brasileira proibia aditivos no café, permitindo apenas o grão e a água.

Não se sabe ainda qual dessas versões é a correta, mas o café solúvel, a partir daquela época, conquistou o paladar e o coração das pessoas. É um grande sucesso até hoje, seja tomado puro, com leite ou de várias outras formas.

Qual é o processo para criar o café solúvel?

café solúvel, também chamado de café instantâneo, precisa ser submetido à diversas etapas para ficar perfeito. O processo é extenso, mas deve ser realizado a fim de garantir a qualidade do produto.

A primeira etapa é a torrefação, que consiste em aquecer e torrar os grãos em cilindros giratórios.

Depois, o grão participa do processo de moagem, onde é esmagado para depois disso ser imerso em água. A próxima etapa é a secagem, que pode ser feita de duas formas que culminam em resultados diferentes.

Veja também: Tipos de torra de café: conheça os principais

A secagem pode ser feita por congelamento, que é a mais utilizada em todo o mundo. Nesse caso, o extrato de café é colocado em câmaras de resfriamento para congelar, criando cristais de gelo. O próximo passo é utilizar um sistema a vácuo para aquecer as câmaras.

Esse processo condensa a água congelada, que é removida do extrato. Então, com os grãos secos, já pode-se embalar e enviar para os distribuidores.

Mas também há o procedimento de secagem por pulverização. É menos usado, mas é mais barato para processar o café instantâneo. Isso é feito a partir do momento em que um spray é acionado sobre o extrato concentrado de café.

O spray deve ficar disposto a uma distância de 30 metros de altura. O extrato vai caindo e, nisso, perde a água dele.

O que resta desse procedimento, como é possível perceber, é apenas o pó solúvel.

O Brasil e o café solúvel

Obviamente, o Brasil não é só isso — na verdade, nenhum país deve ser limitado por uma única coisa —, mas quem associa o Brasil ao café solúvel não está errado.

O Brasil é o líder mundial na produção e exportação desse tipo de café, sendo, muitas vezes, conhecido por essa particularidade.

Qual é a melhor marca de café solúvel?

Hoje em dia, pode-se perceber, ao ir em um supermercado, uma grande quantidade de marcas de café solúvel. Quem não está acostumado a fazer compras pode ficar perdido: qual das marcas é a melhor? A resposta é uma coisa muito pessoal, pois quem gosta muito de um café pode não gostar nem um pouco do outro.

Além do mais, é importante dizer que o gostar ou não gostar de determinado café também implica na forma como ele foi preparado.

Há pessoas que gostam de café mais forte; outras, por outro lado, preferem um café mais fraco. Há quem gosta de colocar pouco açúcar; e há quem gosta de nem mesmo adoçar. Como você gosta?

No fim, o melhor café será aquele que, da forma como você o prepara, é o mais agradável para você.

Mas isso não significa que o sabor de um café não vai mudar com o passar do tempo ou que de repente você não vai experimentar uma outra marca e acabar gostando mais. Para falar a verdade, tudo depende.