Curiosidades

Como é o processo de produção de café?

Processo de produção de café

O café é uma das bebidas mais consumidas no Brasil, mas antes dele chegar nas mesas dos brasileiros é preciso percorrer um longo caminho. Conheça todo o processo de produção de café e quais os cuidados necessários em cada etapa para que essa bebida mantenha a sua qualidade.

Quando paramos para tomar aquele cafezinho fresquinho no meio da tarde ou logo no início da manhã, não imaginamos o processo que ele passa para chegar até a nossa mesa. Quando esses processos são feitos com os devidos cuidados, o sabor, o aroma e a consistência da bebida são outros.

A produção de café no Brasil é considerada a maior do mundo e os cafeicultores muitas vezes dedicam suas vidas inteiras para garantir as melhores condições para os grãos conseguirem viver. Os fatores que podem influenciar a qualidade do produto final são muitos, qualidade do solo, altitude do local, posição do sol, colheita no momento certo e o processo de secagem.

A seguir você vai saber mais sobre todo o processo de produção de café e como garantir os melhores grãos da bebida.

Plantando as sementes

A primeira etapa antes do pó de café chegar prontinho na nossa casa é a plantação e o cultivo das sementes.

É um trabalho que deve ser feito com muito carinho e cuidado, pois inicialmente essas sementes são plantadas em um viveiro, para posteriormente ser transferida para um cafezal, assim que germinar. É no cafezal que ela se tornará uma muda, pronto para dar grãos robustos.

Não basta pegar essas sementes, fazer um buraco na terra e jogá-las dentro. É feita uma análise criteriosa dessas sementes, pois afinal existem no mínimo 25 tipos diferentes.

As mais comuns cultivadas no país são a Robusta e a Arábica. A Robusta é cultivada e utilizada principalmente na comercialização, já as sementes Arábicas são utilizadas nas preparações de cafés especiais.

As sementes do tipo Arábica são utilizadas na confecção dos cafés especiais, principalmente por causa do seu alto custo de produção. Geralmente o consumo desses grãos, representa cerca de 70% mundialmente.

Já a semente do tipo Robusta, representa cerca de 1/3 de comercialização, seu grau de cafeína é bem alta e geralmente é misturada a outros blends de cafés.

Os primeiros frutos de café podem ser colhidos de 3 a 4 anos, após o plantio. Isso significa que é preciso ter paciência nessa primeira etapa do processo de produção de café.

Como é a colheita depois do processo de produção de café?

O plantio dos grãos geralmente acontece na primavera e a colheita começa no início do verão. Para se obter um café de alta qualidade, ele precisa ser colhido bem maduro, e isso acontece em meados dos meses de maio a agosto.

Quando os grãos possuem cores avermelhadas ou amareladas, já está na hora da colheita. O processo de colheita é todo manual, de modo que os frutos mais maduros são selecionados, sendo apanhados de um a um.

O trabalho das pessoas que executam esse tipo de função, deve ser valorizado, principalmente por causa do tempo em que ele é executado. Essa dedicação vale a pena, pois aquele café saboroso que chega na nossa casa depende desses processos.

Nas grandes plantações, as colheitas são feitas mais rapidamente, pois quem faz esse trabalho são as máquinas. Tudo é executado de maneira rápida e mecânica, sendo assim grandes quantidades dos frutos são colhidos e ensacados.

Mas não pense que o processo acabou, não é nessa hora que os grãos são levados às fábricas.

Processo de produção de café

Lavagem e separação da polpa e do grão

A próxima etapa no processo de produção de café é a lavagem de todos os frutos, para que dessa forma sejam removidas as impurezas e sujeiras que possam existir como as folhas, terras, pedaços de madeiras e insetos, pedras e outros resíduos afins. Outra função importante feita nessa etapa é o descarte dos frutos que ainda não amadureceram.

Separar os frutos mais maduros é bem fácil, após a colheita todos os frutos são despejados em um tanque com água. Frutos que ainda estão verdes, submergem, já os frutos maduros, boiam. Dessa maneira, é só separar a polpa do grão de café.

Até hoje em alguns sítios e cafezais, o despolpamento é feito em tanques que possuem uma água sempre em movimento. A água em movimento é capaz de remover e dissolver todas as camadas que envolvem os grãos.

Geralmente, os grãos de café permanecem nesse processo de lavagem e separação dos grãos por um período de 12 a 48 horas. Esse tempo é suficiente para que os grãos fermentem graças as enzimas naturais formadas com a remoção da mucilagem em torno de todos os grãos.

Nas fazendas modernas que possuem maquinários mais específicos, a separação é feita de maneira mecânica, ou seja, são as máquinas que fazem a separação da casca e da polpa, resultando assim em um grão limpo e puro.

Apenas depois dessa etapa de separação, que os grãos são encaminhados para as fábricas.

A secagem dos grãos

No processo de produção de café, a secagem é uma das etapas mais importantes, ela é feita nas indústrias, pois as máquinas que executam essa tarefa são muito mais potentes. Para se ter uma ideia a temperatura das máquinas pode chegar a 140 °C, ou seja, essa secagem é feita em pouquíssimo tempo.

Os pequenos produtores ainda secam os grãos em grandes terreiros, para que eles fiquem expostos ao sol. O tempo de secagem feita dessa maneira leva muito tempo, cerca de semanas. Durante todo esse processo de secagem, esses grãos precisam ser sempre mexidos, isso permite uma secagem feita igualmente.

Tipos de torras de café

A temperatura e o tempo de torra desse café vão variar bastante e ele acontece de acordo com o tipo de café que será produzido. O grão que era verde, passa a ser marrom, cor tradicional conhecida por todos.

Grãos mais torrados produzem cafés mais fortes e geralmente mais amargos.

1 – Torra leve

Essa torra é indicada para os cafés mais suaves, aromáticos, mas muito mais ácidos, a cor do grão é um marrom mais claro. Geralmente, aqueles cafés das máquinas são feitos com esse tipo de torra.

2 – Torra média

Esse tipo de torra dá o equilíbrio ao grão, deixando proporcional o aroma, a acidez e o amargor. Esse café é ideal para ser preparado com coador seja de pano ou de papel.

3 – Torra escura

A torra escura produz um café mais forte, amargo e levemente ácido. Sem dúvidas, a torra do café é uma etapa muito importante.

Moagem dos grãos

O tipo de moagem feita nos grãos, também interfere no sabor. Ela pode ser fina, média e grossa.

A moagem fina é indicada para os cafés feitos de forma mais rápida, ou seja, a água precisa absorver todo o pó e promover o sabor. Um exemplo desse tipo de moagem é feito para o café expresso.

Os cafés feitos em casa com o coador, necessitam uma moagem mais grossa, pois dessa forma a água passa com menos rapidez pelo filtro, necessitando de mais tempo para que o pó do café grude seu sabor nela.

Comercialização do café

Após a moagem dos grãos, o pó é embalado na indústria, passa por processos de qualidade e sabor, de acordo com os órgãos competentes e apenas depois é encaminhado para as prateleiras dos supermercados.

Depois de conhecer todo o processo de produção de café, os trabalhadores dos cafezais que ainda exercem as tarefas de colheita, secagem e moagem de maneira artesanal são valorizados ainda mais. Pronto, agora você já sabe como o cafezinho chega na sua mesa!