Marcas de Café

Café Jacu vale a pena? Saiba tudo sobre a marca!

Você já ouviu falar nos chamados cafés exóticos? São cafés que têm um processo de preparação bastante inusitado — e, em alguns casos, considerados estranho pela população.

Um desses modelos é o Café Jacu, originado em uma fazenda no Espírito Santo a partir de uma ideia que surgiu e foi sucesso em um outro país.

Café Jacu tem um modo muito peculiar de ser produzido: é feito a partir de fezes de animais, mais especificamente dos dejetos de pássaros jacus.

Entretanto, apesar de parecer estranho no início e até um pouco repulsivo, há um motivo para a produção ser feita dessa forma. Quer saber isso e saber mais sobre o Café Jacu? Acompanhe o artigo.

Veja também: Conheça os 9 cafés mais caros do mundo

De onde vem o Café Jacu?

Café Jacu, que hoje é amplamente conhecido por conta do seu sabor característico e de outras características analisadas nos prêmios em que participou, tem o início da sua história marcado na Fazenda Camocim, que fica no interior do Espírito Santo, e hoje já conquista uma fama internacional.

A relação dos produtores de café e das aves não costumava ser pacífica. Na verdade, no passado, os pássaros denominados jacus não davam liberdade para as plantações de café na Fazenda Camocim. Eles atacavam os cafezais com ferocidade e destruíam os frutos, prejudicando muitas produções e, evidentemente, o lucro.

O dono da fazenda estava, então, preso em um imbróglio: não queria exterminar as aves — não podem fazer isso por questões de proteção aos animais —, mas também não queria sofrer com os ataques dos jacus aos cafezais. Então, ele se lembrou de um processo de produção de café bastante caro, que também havia passado por uma situação assim.

O café Kopi Luwak e o Café Jacu

Kopi Luwak é um café feito a partir dos grãos de café retirados das fezes de uma espécie de gambá selvagem que existe na Sumatra. Isso te lembra alguma coisa? Assim como a ave jacu, esse tipo de gambá também foi considerado uma praga pelo fato de prejudicar os cafezais, e então usado como uma solução para revolucionar o meio.

Para quem pensa que esse procedimento do ingerir e expelir prejudica a produção do café, como, por exemplo, trazendo doenças ou modificando negativamente o gosto, está enganado.

Foi verificado, tanto no caso dos gambás selvagens da Sumatra quanto dos jacus na Fazenda Camocim, que o grão ingerido pelos animais era expelido inteiro.

Ou seja, as características do café não eram afetadas por esse motivo. Na verdade, a produção do Café Jacu garante ainda que o café ganha características excepcionais no preparo. E, na Fazenda Camocim, tomando como base o exemplo dos produtores do café Kopi Luwak, nasceu o Café Jacu, com particularidades de forma e história exóticas.

Como funciona a produção do Café Jacu?

O motivo de ser exótico é que o Café Jacu é o único que utiliza esse procedimento no Brasil. Em nenhuma produção de café é usada uma ave.

O procedimento começa quando o jacu ataca os cafezais, e, por conta de suas habilidades, consegue selecionar e comer os melhores grãos — aqueles que são os mais saudáveis e maduros — presentes na área. Isso por si só já é um ganho imenso para quem produz café, visto que a seleção é feita de maneira natural, sem envolvimento humano.

Outro diferencial do produto se dá pela particularidade do sistema digestório do jacu. Como ele não tem estômago, o processo de digestão aproveita somente a polpa e a casca do grão, e depois a ave o elimina inteiro.

O processo de digestão, único e peculiar, contribui para deixar o café com um sabor que não se iguala a nenhum outro. Uma iguaria!

As aves que se alimentaram dos grãos deixam os seus dejetos no chão, no pé dos cafezais, e o próximo passo é realizar a limpeza desses grãos, para então iniciar o procedimento de moagem.

Café Jacu, tendo essas características peculiares e algumas outras, que podem ser vistas mais abaixo, configura-se um café repleto de particularidade.

Veja também: Tipos de Café: Conheça as variedades da bebida

O Café Jacu é o mais caro do Brasil

Você compra o seu café pelo preço? Por conta de diversos motivos, o Café Jacu é o café mais caro de todo o Brasil e um dos mais caros do mundo, o que imediatamente pode afastar as pessoas previamente interessadas.

Ou seja, apesar de seu sabor excêntrico, não é qualquer pessoa que experimenta ou acha que vale a pena experimentar o Café Jacu.

Se algumas pessoas já ficam receosas de comprar um café produzido dessa forma, quando analisam o preço, pode ser mais gritante. E é por conta de sua produção bastante peculiar e outros aspectos, ele recebe esse título.

O fator que mais prejudica a precificação que o Café Jacu adquiriu desde a sua produção é que a ave jacu está ameaçada de extinção.

Por conta disso, é uma espécie que não pode ser presa e nem reproduzida em cativeiro. Portanto, a produção desse café vai depender diretamente no ato voluntário de as aves ingerirem os grãos.

O que é pouco rentável. É o tipo de coisa que torna a produção do Café Jacu muito limitada. Não pode haver uma produção significativamente grande se a natureza limita nesse sentido.

Por conta disso, pelo fato de a produção do Café Jacu ser extremamente limitada, o preço que ele adquire acaba sendo até 30 vezes maior do que um café comum. É até mesmo assustador, não é? Mas talvez valha a pena.

Veja também: Café artesanal: dicas e diferenciais

Vale a pena comprar o Café Jacu?

Se vale consumir o Café Jacu com frequência tendo em vista o preço dele, é uma questão que cada pessoa que gosta de café precisa fazer para si mesma. Se vale consumir o Café Jacu só para experimentar, pode ser uma ideia até interessante, visto que os grãos têm, assim como foi dito mais acima, um gosto muito peculiar. Não se trata de qualquer café.

Você planeja experimentar o Café Jacu? Conte para a gente nos comentários. Se você gostou do texto, tenho certeza de que vai adorar nossos outros textos. Obrigado por ler até aqui e até mais!